Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Chanceler de Israel pede retratação de Lula após declaração controversa.

Foto: divulgação

No mundo – Israel Katz, o ministro das Relações Exteriores de Israel, exigiu nesta terça-feira (20), que o ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, peça desculpas por sua comparação entre o conflito em Gaza e o Holocausto. Essa afirmação desencadeou uma crise diplomática; no entanto, Lula não deu indícios de que pretende se desculpar.

Katz expressou nas redes sociais que a comparação de Lula mancha o Brasil e é desrespeitosa para os judeus brasileiros. Ele insiste que nunca é tarde para aprender História e pedir desculpas e afirmou que Lula continuará inaceitável em Israel até que se arrependa.

O ministro questionou: “Ele precisa ser lembrado do que Hitler fez?” antes de detalhar o genocídio dos judeus pelas forças nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Ele recordou a maneira sistemática e brutal como milhões de pessoas foram levadas para guetos, roubadas de suas propriedades, forçadas ao trabalho e, posteriormente, assassinadas. “Primeiro com balas, depois com gás. Uma indústria sistemática de extermínio de judeus, de maneira ordenada e cruel”, rememorou.

Segundo Katz, Israel está, neste momento, em uma guerra defensiva contra novos nazistas que mataram todos os judeus que encontraram. Ele citou: “Não importava para eles se eram idosos, bebês ou deficientes. Eles mataram uma menina em uma cadeira de rodas. Sequestraram bebês. Se não tivéssemos um exército, teriam matado dezenas de milhares a mais”, referindo-se ao ataque terrorista do Hamas que provocou a morte de 1,2 mil pessoas e desencadeou a guerra em Gaza. Até o momento, este conflito resultou na morte de mais de 29 mil palestinos, de acordo com o Ministério da Saúde local, controlado pelo Hamas.

Posterior aos ataques em 7 de outubro, o presidente condenou as ações do Hamas e criticou a reação de Israel, que ele repetidamente classificou como genocídio. Agora, porém, atravessou o que Tel Aviv define como “linha vermelha”, ao comparar este conflito com o Holocausto.

Em entrevista no dia 18 em Adis Abeba, Etiópia, Lula insistiu: “O que está acontecendo em Gaza só se viu quando Hitler decidiu exterminar os judeus”. Ele também reforçou que este conflito “não é uma guerra entre soldados. É uma guerra entre um exército altamente treinado e mulheres e crianças”, classificando-o não como uma guerra, mas um genocídio, aumentando assim o tom de suas críticas.

Fonte: https://cm7brasil.com/noticias/mundo/chanceler-de-israel-cobra-retratacao-de-lula/

Solicitação de contato

Preencha os dados abaixo e em breve um de nossos consultores irá entrar em contato com você oferecendo as melhores oportunidades para anunciar sua marca conosco.