Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Médicos do Amazonas protestam e reduzem atendimentos em Manaus enquanto exigem pagamento atrasado de salários

O Hospital 28 de Agosto, em Manaus, está entre as unidades com redução de atendimentos — Foto: Patrick Marques/G1

Médicos do Amazonas reduzem atendimentos em protesto por salários atrasados e melhorias na saúde pública

Nesta sexta-feira (1º), os médicos do estado do Amazonas decidiram iniciar um protesto que impactará diretamente os atendimentos a pacientes. O objetivo do movimento é chamar a atenção para a situação precária da saúde pública e reivindicar o pagamento dos salários atrasados, além de melhorias no sistema de atendimento.

A adesão ao protesto abrange os atendimentos não urgentes da rede ambulatorial, afetando unidades como os hospitais 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo, além dos SPAs e UPAs. Os médicos destacam que a falta de pagamento e a escassez de recursos comprometem não apenas a remuneração dos profissionais, mas também o abastecimento das unidades de saúde.

De acordo com o diretor da Cooperativa de Clínica Médica, Victor Hugo, as reivindicações são abrangentes e englobam outras categorias de profissionais da saúde no estado. A falta de abastecimento dos materiais necessários para atendimento hospitalar, como medicamentos e utensílios para cirurgias, tem gerado improvisações e atrasos nos tratamentos, prejudicando a qualidade do atendimento e prolongando o tempo de internação dos pacientes.

Um documento assinado por 15 instituições representativas dos médicos no Amazonas foi entregue às autoridades do governo do estado, na quarta-feira (29). O secretário de Saúde, Anoar Samad, afirmou ter recebido as reivindicações e solicitou à Secretaria de Estado da Fazenda a liberação de mais de R$ 453 milhões para o pagamento das despesas em atraso. Até o momento, não houve resposta por parte da Sefaz-AM.

Enquanto o governo não se manifesta sobre as demandas dos médicos, os pacientes afetados pelo protesto precisarão reagendar suas consultas não urgentes. Os atendimentos de emergência e urgência, no entanto, continuarão sendo realizados normalmente em todas as unidades de saúde do estado. A expectativa é de que a mobilização dos médicos traga visibilidade para os problemas enfrentados no sistema público de saúde e pressione as autoridades a tomarem medidas efetivas para solucioná-los.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/12/01/em-protesto-medicos-do-am-reduzem-atendimentos-em-manaus-e-cobram-salarios-atrasados.ghtml

Solicitação de contato

Preencha os dados abaixo e em breve um de nossos consultores irá entrar em contato com você oferecendo as melhores oportunidades para anunciar sua marca conosco.