Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Polícia Federal investiga grupo criminoso suspeito de incendiar veículos de fiscais do ICMBio e Força Nacional no Amazonas

Carros de fiscais do ICMBio e Força Nacional foram queimados no Amazonas — Foto: PF

Polícia Federal realiza operação para investigar grupo suspeito de ataques a fiscais ambientais no Amazonas.

Na terça-feira, a Polícia Federal deflagrou a “Operação KM 180” com o objetivo de investigar um grupo criminoso responsável por ataques e incêndios contra carros de fiscais do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e da Força Nacional, ocorridos em setembro deste ano. Durante a operação, foram apreendidas três armas de fogo, munições e motosserras.

A ação teve como foco a repressão aos crimes ambientais, crimes contra o patrimônio público e obstrução da fiscalização dos órgãos públicos. A busca e apreensão foram realizadas para obtenção de provas que comprovem os crimes investigados e aprofundamento das investigações sobre o destino da madeira.

Segundo a Polícia Federal, caso condenados, os investigados podem enfrentar uma pena de até 13 anos de reclusão pelos crimes de dano qualificado e associação criminosa.

A operação mobilizou 16 policiais federais, que cumpriram quatro mandados de busca e apreensão no distrito de Santo Antônio do Matupi, localizado no município de Manicoré, situado na Rodovia Transamazônica. Segundo informações, a devastação na Unidade de Conservação Federal na região já ultrapassa 700 hectares.

Até o momento, a Polícia Federal não divulgou os nomes dos investigados e não há registro de prisões durante a operação.

O ataque criminoso que motivou a operação ocorreu em setembro deste ano, no Sul do Amazonas, uma região marcada por conflitos entre madeireiros e fiscais ambientais. Na ocasião, fiscais do ICMBio e policiais da Força Nacional foram alvo de ataques e tiveram seus carros incendiados. Testemunhas relatam que os agentes estavam realizando uma fiscalização contra o desmatamento na Floresta Nacional de Aripuanã, próximo ao distrito de Santo Antônio do Matupi.

Durante a fiscalização, foram encontrados 550m³ de madeira ilegal em tora, além de armas, equipamentos e veículos usados no desmatamento ilegal. Todos os materiais foram apreendidos ou destruídos e quatro infratores foram identificados e multados em R$ 7,6 milhões.

De acordo com relatos de testemunhas, em represália à fiscalização, os fiscais do ICMBio foram emboscados. Homens cercaram as viaturas dos fiscais, derrubaram árvores e atearam fogo. Áudios obtidos pela Rede Amazônica mostram indivíduos incentivando o ataque.

Santo Antônio do Matupi é conhecido por ser uma região marcada por conflitos motivados por disputas territoriais e desmatamento. Em 2011, um produtor rural do distrito foi assassinado após tentar resolver problemas fundiários na área. Dois anos depois, três homens foram mortos na região em um crime no qual seis indígenas foram denunciados por homicídio qualificado. O Ministério Público do Amazonas alega que as vítimas foram assassinadas como vingança pela morte de um cacique.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/18/pf-mira-grupo-criminoso-suspeito-de-atacar-e-queimar-carros-de-fiscais-do-icmbio-e-forca-nacional-no-amazonas.ghtml

Solicitação de contato

Preencha os dados abaixo e em breve um de nossos consultores irá entrar em contato com você oferecendo as melhores oportunidades para anunciar sua marca conosco.